domingo, 10 de novembro de 2013

ÁLVARO CUNHAL REFERÊNCIA PARA TODOS OS AMANHÃS




Sempre foi contra o culto da personalidade

mas foi um HOMEM invulgar
que a memória não esquece
para todos os amanhãs.

11 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Os sons eram raízes, o coro era a harmonia semeada de bandeiras vermelhas e foi-me reforçada a convicção: há mortos que jamais morrerão!

(e o Campo foi Pequeno)

AC disse...

Um Homem que será referência, sempre.

Abraço

Francisco Clamote disse...

Não partilho da devoção, mas admiro o Homem, a sua inteligência, a coragem e a coerência.

Maria Eu disse...

Um Homem que nunca morrerá!

Rosa dos Ventos disse...

Um Homem que marcou indelevelmente o séc XX português!
De uma verticalidade, honestidade, inteligência e capacidade de lutar que são um exemplo a seguir...

Abraço

jrd disse...

O primeiro século de um Homem que ficará para sempre na memória dos homens.

trepadeira disse...

Não o deixaremos morrer.

Abraço,

mário

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sem dúvida, um Homem que permanecerá na memória de várias gerações e ganhou, por direito próprio, um lugar na História do século XX. E não só na História de Portugal...

Justine disse...

Homem íntegro, como já há poucos...

Ana Tapadas disse...

A memória necessária.

Bjs

Graça Sampaio disse...

Uma referência, um símbolo! Um artista!