terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

PASSARÕES




O branqueamento das crises impostas aos cidadãos comuns - com recurso à ideia de poderes ocultos - tenta impedir qualquer crítica às políticas do governo e condicionar a livre expressão, em véspera de eleições.

A falta de qualidade na feitura das leis, denunciada por quem as promulga faz-me reconhecer a perda da qualidade da nossa democracia.

É verdade que não há fronteiras para as aves mas no caso estamos a falar de passarões.
Até prova em contrário.


6 comentários:

jrd disse...

Aves de rapina e cucos.

polidor disse...

e as aves de grande porte mais do que garra têm garras...

isabel mendes ferreira disse...

e até prova em contrário...:) aqui estou.....rendida ao humor assertivo e corrosivo .....

Inteligente!





aquele abraço.



sólido.



(obrigada)

Anónimo disse...

Este País é "Aldeia da Roupa Branca, é só branqueamento e não se consegue lavar toda a roupa suja.
Um abraço
O Merceeiro Honesto

São disse...

Passarões? Aves de rapina, também.
Sim, não se entende: se as leis são más, porque as promulga?!
Um abraço, amigo.

heretico disse...

prefiro pardais. e ... pardalocas!...

abraços