segunda-feira, 4 de abril de 2016

ATÉ SER DIA PUM


A céu aberto à vista de Deus e dos servos curvados, nos paraísos fiscais legalizados, os donos do dinheiro, fazedores da guerra e da paz, protegem-se dos ladrões de amoras silvestres no pó das azinhagas.

A céu aberto na cova funda tentarão ainda passar o testemunho aos herdeiros nos cemitérios.
Até ser dia. PUM. PUM.

4 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Te tão chocho
até o PUM será frouxo

Não fará estrondo

Luis Filipe Gomes disse...

Descobriram a gruta,e os quarenta ladrões,mas a senha mudou parece que já não é abre-te sésamo.

José Lopes disse...

Descobriu-se UM dos escritórios que organizava as maroscas relativas a offshores, mas existem muitos mais por todo o mundo e muitos mais offshores. O que aconteceria se fossem revelados todos os segredos desta natureza?
Cumps

anamar disse...

Tão poético para "lavagens" destas.

O poeta é assim, "um fingidor"...

Abracinho