segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

NAS RUAS QUE CHOVAM RELÂMPAGOS





Na chamada 7ª avaliação as troikas esgrimem e auto-avaliam-se
tentam absolver-se.
Tartufas e vendilhonas ainda têm o desplante de pedir confiança.
Imcompetentes e abutres ainda não concluiram que as políticas radicais de austeridade - matam a economia, sufocam o tecido empresarial e as famílias.

As palavras estão gastas
nas ruas - que chovam relâmpagos

12 comentários:

joão l.henrique disse...

"que chovam relâmpagos" e baldes... Cheios.

Um abraço.

anamar disse...

Isso...

Espero que o dia de sábado tenha sido de ternura e de uma enorme poesia.

Beijo grande..

José Lopes disse...

Que quem se sente prejudicado e explorado reclame em voz bem alta.
Cumps

Lídia Borges disse...


Estes nossos "brandos costumes" parecem mais preguiça do que outra coisa.


Lídia

Rogério Pereira disse...

...raios e coriscos
nunca caídos nem vistos

jrd disse...

Ouvi dizer por aqui, que já pinga...

trepadeira disse...

Relâmpagos e raios-que-os-partam.

Abraço,
mário

Jorge P.G disse...

Que chovam raios e coriscos sobre estes salafrários!

Cumps.

heretico disse...

e que os relâmpagos iluminem as consciências...

abraço

Felina disse...

E algumas pedras certeiras também

Zé Povinho disse...

Que a voz não nos falte e que muitos se nos juntem...
Abraço do Zé

Luís Neves disse...

Companheiro, esta é uma visita rápida, serve apenas para
apresentar e divulgar “o blog
2013 – Centenário de Álvaro Cunhal "
Esperamos visitas de retribuição e colaboração.
Os autores