sábado, 19 de novembro de 2011

SEMPRE OS MESMOS A CARREGAR URNAS

                     
                                                         João Abel Manta

Em plena casa mortuária acemdem-se velas à ideia federalista desta europa tresmalhada. Desenham-se ramos de crisântemos no que ainda resta da soberania dos povos.

Os velhos impérios caíram.
Agora estão a ser colonizados pela ditadura dos mercados terroristas

mas são sempre os mesmos
a carregar as urnas.

12 comentários:

Pata Negra disse...

A democracia: Sócrates, Passos Coelho, Cavaco, Berlusccony, Sarkozy, Merkel, Durão, Troika... é isto que esperamos da democracia? Não haverá algo de errado em tudo isto? Que pluralismo pode haver no deserto do pensamento único?
Façamos o enterro porque amanhã vai nascer um novo dia!
Um abraço 24

trepadeira disse...

Às vezes é preciso carregar urnas,desde que levem dentro a pulharada de exploradores,e criados (dos exploradores)que nos querem dominar e colonizar.

Um abraço,
mário

O Guardião disse...

Se o povo se unir também carrega as urnas desta cambada que nos suga como pode enquanto não houver quem lhes corte as vazas.
Cumps

anamar disse...

E, agora há outros a frequenta-la que não eram "habitués".
Beijos meus

Rogério Pereira disse...

João Abel Manta
lhe agradeceria esta legenda...
(tão ajustada
quanto tremenda)

maceta disse...

então, façamos o que é inevitável: enterremo-lhes...

jrd disse...

Um atavismo de que não há meio de nos conseguirmos libertar

joão l.henrique disse...

nem mais...

Um abraço.

Marta disse...

Para o que não há remédio...remediado está!

lino disse...

Qualquer dia nem urnas há!
Abraço

Dylan disse...

Eh pá, esses pareciam os coveiros da AA Coimbra que esmagaram o FCP!:)

Fernando Samuel disse...

Excelente texto.

Um abraço.