segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PARLA MENTO DEVE FISCALIZAR AS "SECRETAS"





Esta sociedade vigiada pelo sistema - em príncipio, no "sigilo" das "secretas"
está exposta aos arbítrios que invadem a privacidade do comum cidadão.

Quando os espiões andam à solta - as "secretas" protegem-se - não nos protegem.
São instrumentos de agressão, sociedades anónimas.

Quando os EUA podem ter acesso aos nossos bilhetes de identidade estamos a entregar o ouro ao bandido.
Se pelo menos o Parla mento não tiver voz nesta matéria
só resta fechar o portão
e soltar os cães



12 comentários:

folha seca disse...

Caro Puma
Ando a reler mais uma vez o 1984 de Orwell.
Abraço

mfc disse...

Soltem-se os cães!

lino disse...

É por essas e por outras que eu não digo certas coisas ao telefone.
Abraço

irlando disse...

Já somos subservientes em relação aos
alemães
Agora somos em relação aos "americães"
Será que só temos como amigos criminosos de guerra.

trepadeira disse...

Cuidado,antes de fechar o portão,verificar bem se os cães não são eles,digo,deles.

Um abraço,
mário

Rogério Pereira disse...

Num post enxuto
se diz muito

(tenho de rever
a minha forma de escrever...)

O Puma disse...

TREPADEIRA

estimado amigo

aqui os cães são nossos
dos nossos

jrd disse...

O pior é a voz (maioritária) do Parlamento...

maceta disse...

sempre que falo ao telefone prego com cada aldrabice...

lágrima disse...

os espiões andam à solta em qualquer esquina, janela ou fechadura de porta. mas se preciso for existe ainda a alternativa dos berbequins..., é só fazer buracos nas paredes e nos telhados. pena que esqueçam as suas telhas de vidro...
ah... também há os que são "secretos" por conta própria...
espiões..., quase cada sombra que nos persegue discretamente é um espião...
queria tanto ser capaz de perceber o que realmente caracteriza o fascismo...
abraço

Fernando Samuel disse...

Cuidado: digo-te, por sinais: estamos a ser escutados...

Um abraço.

Isa GT disse...

Que venham os cães... com tantos secretismos quem se lixa é sempre o mexilhão.

Bjos