terça-feira, 24 de novembro de 2009

OFEREÇO-TE O MEU (DES) ORDENADO



Victor Constâncio dá a ideia de se adiantar ao governo

e na solidão do banco de portugal defende inocente mais uma subida

de impostos.

 No balcão do café alguém disse

- Dá-me os teus impostos

que eu ofereço-te o meu (des) ordenado.

7 comentários:

Meg disse...

Puma,

Pensei que a falta de vergonha tinha limites... ontem disse, hoje disse que ontem não disse... o que eu ouvi não ouvi,
foi uma alucinação colectiva?
Em que ficamos?

Um abraço

opolidor disse...

como se costuma dizer:
- querias batatas com enguias...

JPD disse...

Oa problemas de regulação que as crises do BPN e do BPP criaram ao Banco de Portugal arrataram o seu Governador para uma situação que abalou a credibilidade do que disser como primeiro responsável da instituição Banco de Portugal.

Saudações

jrd disse...

Uma coisa é certa, o Constancio é constante desde que foi para aquele poleiro.

heretico disse...

e não se poderia "exportá-lo"? diminuiria o déficit?

abraço

Anónimo disse...

...outro, como Vital Moreira,"lacaio" às ordens de Sócrates!!!
... ao q´uisto chegou !!!

V.Constancio sem vergonha, "mendigo", bem PAGO, do (des)poder, feito
seu ARAUTO !!! para ver se pega?..

...uah!uah!.. estou agoniado..........

Paulo Sempre disse...

Realidade escondidas - aos menos atentos - antes das eleições. Agora que o periodo eleitoral passou, surge a "crua" realidade.
O Povo também tem alguma culpa!!!
.
Abraço