terça-feira, 21 de abril de 2009

ABRIL APESAR DE SÓCRATES

1974


Comemorar o 35º aniversário da revolução de Abril, não é apenas viver memórias, é permanecer na luta democrática por causas justas, possíveis de realizar quando soubermos que não basta ter razão - é contribuir para a derrota da indiferença, a abstenção, o cair dos braços e o medo - é rasgar caminhos contra o cântico dos naufragos e não permitir que se confunda Abril com os seus carrascos.


Quando te penso Abril, não estou a carpir lágrimas, estou a festejar amanhãs, árvores frondosas com raízes profundas que ajudámos a plantar.


Abril - apesar de Sócrates - porque não deixaremos branquear a história.


13 comentários:

Alexa disse...

Puma
lindo demais este texto
Só olhos nos olhos



Abraço amigo

lino disse...

E Abril apesar de Jaime Neves.

jrd disse...

Estou na tua festa pá!

Anónimo disse...

Apesar de Sócrates e outros quejandos, faz falta outro Abril de esperança.

Abraço,

CV

SILÊNCIO CULPADO disse...

Puma

O caminho faz-se caminhando e os direitos conquistam-se não os deixando morrer.

Por Abril, sempre.


Abraço

Anónimo disse...

VIVER E COMEMORAR ABRIL...é

...viver, hoje e os "amanhãs"... acreditando...SEMPRE!..

... lutando e desmascarando, quotidianamente, os "esbirros"...socráticos e "sus muchachos"... e outros que tais...

... sem MEDO... olhando o FUTURO... que ABRIL abriu...com a confiança de um ..CHE!

Ab.ELINO!..

Alexa disse...

Sou apenas uma gata assanhada , olhar nos olhos de um puma era desafiar a morte.
Beijos grandes

São disse...

Abril, sempre!

Te peço que vás até ao Compagnon-de-Route buscar a tua prenda.

Uma noite descansada junto aos teus.

Monte Cristo disse...

Quem tem mais de 50 anos, para compreender - e recordar - o 25 de Abril de 1974?

O que têm os dias de hoje que ainda cheire aos cravos desse 25 de Abril?

Onde cabem os poderes - e os poderosos - de hoje no 25 de Abril que nós vivemos?

E os corruptos e aproveitadores desta democracia de plástico?

E, principalmente, onde cabem as crianças com fome, os velhos desamparados, os desempregados, os que trabalham sem receber, os que se calam por medo ou ignorância e, até, as grávidas que se manda ir parir a Espanha?

É tempo, sim, de cantar de novo:

«Se alguém se fia no seu ar sizudo...»

heretico disse...

festejemos os amanhãs que nos interpelam...

belíssima exortação.

25 de Abril, Sempre!

abraço fraterno

Alexa disse...

A gata está doente não consegue enfrentar o puma mesmo cegueta

beijocas

Alvarez disse...

Amigo Puma,

25 de Abril... SEMPRE!...

Alvarez

GMV disse...

Gostei que me tivesses trazido a este teu espaço :).

Festejemos amanhãs, sim - apesar de Sócrates!