sábado, 28 de fevereiro de 2009

SÓCRATES - A ROSA COR DE LARANJA




Na abertura do congresso do p.s. já Sócrates tinha sido eleito.

No discurso só lhe faltou terminar à semelhança da madrasta da Branca de Neve - espelho meu espelho meu, há por aí alguém mais demagogo do que eu?

Vitima de si mesmo, a sua tese ao congresso, aperfeiçoa o rumo neoliberal das políticas que fazem o país continuar a ser um paraíso fiscal dos parasitas.

Tudo isto em nome da rosa cor de laranja.


8 comentários:

Maria disse...

Eu gostei foi da música...
:)

poesianopopular disse...

Eu gostei de quase tudo, mas... aquela declaração cantada, por aquele congressista à Edite Estrela, foi o máximo, apenas superada,pela surpresa do candidato ás eleições europeias, com um pequeno senão, o de ter faltado o envelope com o nome, para que podesse ser dito ,...e o vencedor é..............
Tambem gostei da pojança, e da convicção como proferem a palavra camaradas.
Mesmo aquí de longe, tudo me pareceu cheirar a bafio.
abraço

heretico disse...

confesso que não ouvi.
mas acredito...

abraços

GATO GIL disse...

CRISTO

Depois de resolvido o providencial apagão no Pavilhão de Espinho, Sócrates discursava para algumas centenas de seguidores socialistas quando, de repente, aparece Jesus Cristo baixando lentamente do céu. Quando chega ao lado de Sócrates, diz-lhe algo ao ouvido.

Então Sócrates, dirigindo-se à multidão, diz:

- Atenção camaradas! Não veio ao nosso Congresso o irmão e amigo Hugo Chavez, mas Jesus Cristo está aqui, e quer dirigir-vos algumas palavras!

Jesus dirige-se ao púlpito e diz:

- Povo português, este homem aqui ao lado, o Primeiro Ministro Sócrates, não vos tem dado o 'pão do conhecimento' da mesma forma que eu fiz?

Os socialistas respondem:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Não é verdade que, assim como eu multipliquei os pães e os peixes para dar de comer a todos, este homem inventou os aumentos de 5 e de dez cêntimos nas pensões, para que todos pudessem alimentar-se?

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiim!, responderam os militantes.

- Não é verdade que este homem, José Sócrates, reformulou o Serviço Nacional de Saúde, assim como eu curei os enfermos e tratei os pobres e desfavorecidos?

O povo grita:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Não foi, também ele, traído por companheiros de partido, assim como eu fui traído por Judas?

Os socialistas gritaram ainda com mais força:
- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Então, do que é que estão à espera para crucificar o tipo???!!!

Anónimo disse...

Bom GATO GIL, como gostei da tua reportagem do congresso.
Lá terei de a copiar para enviar a amigos!
Um abraço
Lagartinha de Alhos Vedros

Fernando Samuel disse...

Entre a rosa-laranja e a laranja-rosa, venha o diabo e escolha.

Um abraço.

jrd disse...

O espelho não lhe respondeu, porque, vendo bem, em matéria de demagogia, eram mais do que as madrastas, perdão, do que as mães. os que por lá estavam.

polidor disse...

não consegui perder tempo com ele nem com a música que é sempre a mesma... cansei-me.