sábado, 10 de novembro de 2007

MINISTRO PROMOVE NEGÓCIO DA SAÚDE

zé povinho





Quem quer saúde que a pague mesmo que seja à custa

da própria saúde,isto é,à custa da falta de resposta nos serviços públicos de saúde - por orientação do poder central.


O ministro Correia de Campos tem apontado,como na construção

civil,visitas ao andar modelo - isto é,a meia dúzia de casos mediáticos

onde tudo parece estar em ordem - e depois generaliza na perspectiva

de privatizar o sistema.


A propósito da falácia do poder de maioria esmagadora

está fechado o concurso público para admissão de enfermeiros

para o Seixal e Sesimbra.


São 600 os candidatos,desempregados ou em situação precária

de emprego.Estão todos a rezar uma vez que as vagas são apenas 6.


Greve no dia 30 de novembro.


Que mais podem fazer os trabalhadores para a defesa

dos seus legitimos interesses profissionais?






4 comentários:

Anónimo disse...

SILÊNCIO CULPADO disse...
Perante uma grande sacanice que está a ser feita sobre alguns professores que não recebem vencimento,têm horários d e12 horas ou estão a recibos verdes sugere-se que todos os blogues publiquem a notícia que está no http://cegueiralusa.blogspot.com

SILÊNCIO CULPADO disse...

Estarei sempre solidária para todas as causas que me pareçam legítimas num país em que aumenta, de dia para dia, o desemprego, o fosso entre ricos e pobres, e crescem as situações de precariedade no trabalho.

herético disse...

tens razão - é necessário "vir para a rua e gritar...".

grato pela visita.

abraços

Mateso disse...

Sou da geração mais antiga, a dos ideais.. pobrezinhos devem se ter perdido algures à entrada de S. Bento. Não suporto estas barrigas cheias, este coçar de bolsos ávidos, este estalar de importâncias inchadas, este doer de barrigas dos mais velhos e ainda os olhares que pensei não voltaram mais. Vazios de amanhã.
Bj.